Lau King representou o Sagrada sem visto de trabalho

O internacional moçambicano Lau King, regressou ao Moçambola, para representar à União Desportiva do Songo, despojos de ter chegado a acordo com o Sagrada Esperança para a rescisão amigável do contrato que o ligava ao clube da Lunda Norte desde Fevereiro deste ano, justificou que entre os motivos da rescisão consta a falta de regularização da sua situação migratória, atrasos salariais, entre outros aspectos. Segundo o site moçambicano lance.co.mz.

Segundo a fonte, Lau King chegou ao ponto de rotura devido a situações que se arrastam sem solução à vista desde que chegou ao clube em Fevereiro, logo após o CHAN, alegando que o Sagrada Esperança foi incapaz de providenciar um visto de trabalho ao atleta que, em algumas situações, foi obrigado a refugiar-se para evitar ser interpelado pelas autoridades migratórias angolanas, dada a sua condição de trabalhador ilegal no país. As viagens de Lau King para fora de Angola foram sempre feitas com base em esquemas de aliciamento de funcionários da migração, o que causava total desconforto no atleta que se sentia um autêntico fora-da-lei, apenas protegido pelas ligações privilegiadas de elementos da direção do clube às autoridades angolanas.

A mesma fonte referiu-se também à dificuldade que o clube apresentou ao longo de cerca de 10 meses para abrir uma conta bancária em nome do atleta. O salário de Lau, fixado em dólares americanos, chegava às mãos do atleta em Kwanzas, por via de terceiros, após ter passado por uma conversão cambial, baseada em tabelas não oficiais, que depreciavam gravemente o valor inicial, em claro prejuízo do atleta que, no final, ganhava muito menos do que estava estipulado contratualmente.

Acusando a gestão do Sagrada Esperança de pouco profissionalizada, a fonte aponta que o atleta que consta entre os seleccionados de Chiquinho Conde para a CAN 2023, vivenciou várias situações anómalas, típicas de uma organização pouco profissionalizada, que levaram o avançado dos Mambas a solicitar a rescisão do contrato, abrindo-se assim caminho para o seu regresso a Moçambique onde o espera um contrato com a União Desportiva do Songo, clube que representou por 5 épocas antes de se aventurar pelo futebol angolano.

Na época 2023/24, Lau King contabiliza 8 jogos pelo Sagrada Esperança, entre o Girabola e as Afrotaças, com o saldo de 1 golo marcado na fase preliminar da Taça CAF e uma assistência efetuada na fase de grupos da mesma prova.

ADDVERTISE